Soldagem de componentes eletrônicos

Leia a seguir ou baixe uma cópia idêntica deste post em PDF clicando aqui.

O pessoal da aprendizagem vai começar a trabalhar hoje (sexta-feira) com solda. Aproveitando a oportunidade, posto algum material a respeito do assunto.

Primeiro, os ferros de solda que usamos em componentes eletrônicos não precisam ser muito potentes: 30 ou 40W são mais do que suficientes. Algumas marcas de ferros são mais recomendáveis que outras como Hikary ou Fame. Portanto, se forem comprar para vocês, comprem ferros de marca.

Antes de iniciar a soldagem, você deve se certificar que a ponta do ferro está limpa, sem oxidação ou sujeiras. Se estiver suja, uma esponja vegetal ou mesmo um papel levemente úmido pode resolver o problema, bastando passá-la sobre a ponta e limpá-la. A sujeira impede a passagem do calor, dificultando a soldagem.

Após limpar, ligue o ferro e após alguns minutos (5 minutos são mais do que suficiente para a maioria), ele estará quente. Então, passe um pouco de estanho na ponta. Feito isso, o ferro estará pronto para a soldagem.

Para soldar um componente, o ferro deve estar encostado ao mesmo tempo na trilha onde será soldado e no terminal do componente, como na imagem abaixo:

Obs.: Imagem retirada do site http://endigital.orgfree.com/pci/ensolda.htm
Aliás, uma boa lida no site acima complementará esta explicação.

Com o ferro encostando na trilha da placa e no terminal do componente, aplique o estanho sobre A TRILHA até ela envolver o terminal do componente. Então, retire o ferro. O ferro não pode ficar muito tempo sobre a placa e sobre o terminal do componente. A soldagem deve ser feita o mais rápido possível.

Uma boa solda tem aspecto brilhante. Se ficar cinza, opaca, sem brilho, não serve. É por isso que a soldagem deve ser feita com o ferro limpo: se não for assim, a solda não ficará brilhante e possivelmente não “pegará” direito.

Existe um termo famoso entre os técnicos em eletrônica: Solda fria. Solda fria, em síntese, é quando a solda não adere corretamente ao componente ou à placa. Isso ocasiona maus-contatos no circuito, impedindo seu funcionamento correto. Nem sempre a solda fria é ocasionada no momento da solda. A solda pode estar perfeita, mas com o tempo, devido à temperatura das trilhas (lembram-se do efeito joule?) ou por flexão sobre a placa (literalmente entortar a placa) pode fazer a ruptura da solda, ocasionando a solda fria. Uma dica para evitar este problema enquanto estiver soldando é não assoprar a solda após retirar o ferro. O iniciante em eletrônica acredita que, assoprando, ajudará no resfriamento. Entretanto, o resfriamento rápido associado ao sopro pode causar solda fria. Portanto, não assopre a solda!

No mais, existe um video (em inglês) muito bom no Youtube, que mostra o modo errado e o certo de soldar componentes eletrônicos. Dêem uma olhada. Eis o link: http://www.youtube.com/watch?v=I_NU2ruzyc4&feature=player_embedded

Obs.: Se o vídeo estiver fora do ar, me procurem, pois tenho uma cópia.

Abraços, fiquem com Deus,
Gabriel.

Anúncios

2 Respostas para “Soldagem de componentes eletrônicos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s